sexta-feira, 10 de outubro de 2008

CONJECTURAS 3 - Comissão da Verdade e Reconciliação em Moçambique

Os meus amigos não páram de me bombardear com perguntas difíceis. Eis que um voltou e me questionou sobre o assunto em epígrafe. Não lhe respondi porque acho o assunto bicudo, por isso vim pedir SOCORRO à comunidade blogósfera. O que pensamos disto?

"Meus caros compatriotas,

Mais uma vez, eis-me aqui para compartilhar convosco, intelectuais de que depende o futuro de Moçambique, um assunto tão importante como este: a possibilidade de criação de uma Comissão da Verdade e Reconciliação em Moçambique (uma réplica da CVR da África do Sul) para que sejam perdoados alguns crimes que foram cometidos até um certo momento (por exemplo, até 2004) e se comece uma nova era em que nenhum crime ficará impune.

Qual seria o objectivo?

- R1: Evitar que aqueles que se aproveitaram dos bens e valores do Estado até 2004 (por ex.), os que enriqueceram ilícitamente vendendo droga, armas, motores, etc, fossem hoje sancionados, pondo em causa a estabilidade do Estado, tendo em conta que muitos podem estar ainda no activo como dirigentes.

-R2: Começar uma nova era em que todo aquele que se beneficiar ilícitamente de bens do Estado, enriquecer ilícitamente seja exemplarmente punido.

-R3: Resgatar a boa imagem da Nossa Pátria no contexto das Nações (e realizar o sonho de Samora Machel de ver Moçambique a caminhar firme em direcção ao Progresso).

O que acham?"

4 comentários:

Bosse H disse...

Ideia interessante mas pouco realista. Infelizmente.

Bosse H disse...

Ideia interessante mas pouco realista. Infelizmente.

Júlio S. disse...

Pouco realista porquê?

Anônimo disse...

Epa, Julio, parece brincadeira e pode estaar mesmo a brincar mas poderia ser uma saida, salvaguardando que ficavam obrigados a devolver o dinheiro retirado, com bonus e taxas de juros bonificadas de medio prazo. Porque? 1. recuperavasse o dinheiro e era aplicado nas areas correctas. 2. parava com a hipocrisia de ladrao prender outro ladrao, porque pouquissimos ricos, de donos de shoping que andam sem marticulas no carro a criadores de patos em mocambique podem provar a licicitude da sua riqueza e nao precisa citar nomes (mas foi e e assim na Suica e outros paraisos fiscais, foi assim com os Rockfellers e cia). 4. Os doadores comprenderiam como compreenderam quando o governo americano violou o principio de autoregulacao da economia. 5. O povo zangaria, mas tem muitas coisas que continuam a ser feitas em prejuizo do povo mesmo que o povo zangue. 5. De contrario aguardemos que se repita o exemplo Zambiano, Chiluba acabou preso depois de ter perseguido KK e os seus. 6. Decidido o limite da amnistia o judicial deveria deixar de ser subordinado ao PR, perdendo este a prerrogativa de nomear e exonerar magistrados, so assim e que haveria independencia e almejar-se a que todos fossem tratados de forma menos desigual perante a Lei.