segunda-feira, 27 de julho de 2009

A Nossa Polícia

Sábado, 5 horas da manhã, pego estrada com destino a Xai-Xai para participar na deposição de flores onde descansa o "guerreiro" (como o descreve PC Mapengo no "Escorpião" desta semana), e "resgatar" a minha esposa que permaneceu por aquelas bandas após o funeral do velho.

À partida, certifiquei-me de tudo: luz das escadas acesa, porta bem trancadinha etc.

O calor humano, a presença de familiares, amigos, vizinhos colegas de trabalho etc, ajudaram a espantar o ambiente fúnebre e a descontrair as pessoas. Foi pois num ambiente descontraído que, numa coluna de 3 carros, nos fizemos a estrada de regresso a Maputo com passagens por Manjacaze/Mazucane.

Foram 256 KM de paz, calma, animação, muita conversa em cada ponto onde decidíamos parar.

O pior estava reservado mesmo para o fim para a nossa chegada a casa. Enquanto retirava do carro as coisas que trazíamos, a filha da minha sogra subiu para casa (é lógico que com as coisas mais leves) e volta ofegante "me acusando" de ter deixado a porta de casa ABERTA.

Não era possível. Tranquei a porta - expliquei. "Então como é possível que a porta esteja aberta agora?"

Acho que ao fazer esta pergunta, ela se recusava a aceitar o óbvio. A casa havia sido assaltada.

Levei o que já tinha tirado do carro e subi para confirmar: porta arrombada, discos, livros, documentos espalhados pela sala; roupa desarumada no nosso quarto, gavetas das cabeceiras viradas ao avesso. Não restavam dúvidas, durante a nossa ausência fomos "visitados" por gente sem escrúpulos que teve a ousadia de profanar o meu local sagrado - o meu quarto - tomando-me por alguém que ainda guarda dinheiro debaixo do colchão ou local que se assemelhe.

Fui a polícia comunicar o sucedido. Não havia efectivo. O homem que me atendeu acompanhou-me a casa e fez o levantamento do que tinha sumido. Nada de perícia, nada de tentar encontrar pistas ou algo que nos conduza ao autor de tão vil acto.

Voltamos para a esquadra, foi emitido um auto de ocorrência e, por fim, foi me recomendado que me apresentasse à esquadra na "segunda-feira" a partir das 10 horas, isto é, a Polícia de Investigação Criminal vai entrar em acção depois de eu repôr as fechaduras, dar um jeito na porta, arrumar a sala, o quarto varrer etc já que, é humanamente impossível ficar na casa no estado em que os gatunos a deixaram.

Fiquei espantado com este método. Não sei porquê mas espantei-me de verdade. Saí dali mais chateado ainda mas consolado com a sinceridade do Estado que, na prática me disse: "não vamos fazer nada, não alimente esperança de encontrarmos o ladrão nem de recuperarmos os seus CD'S, DVD's, aparelhagem, computador e os 45 Meticais tirados do amealheiro das suas filhas, ou qualquer coisa que venhas descobrir que foi retirada."

Agora faço contas de comprar outras coisas. Aquelas se foram. Não tenho esperança nem que se saiba quem foi que seria um serviço para a comunidade que passaria a saber quem são os elementos nefasros na nossa sociedade.

Mas a vida continua, nquanto houver saúde outras coisas virão.

12 comentários:

SHIRANGANO disse...

Lamento bastante pelo sucedido, meu caro Mutisse. Infelizmente, também já passei por algo idêntico. Os tipos não me arrombaram a porta, tiveram o escrúpulo de tocar a campainha, entraram e levaram tudo que lhes interessava.
A nossa polícia é o que é. A desculpa é sempre a mesma: é porque somos pobres e não dispomos de recursos.

Nero Kalashnikov disse...

Infelizmente ainda nao lhe posso ajudar meu caro irmao. Apenas partilhar a dor que deveras sentes por esse acto vil e sorrateiro. Talvez seja a distribuicao da riqueza pela pior das vias. Nao desejo isso a ninguem, sinceramente. E sugiro que requeiras uma licenca de porte e uso de arma de fogo. Esses sao gatunos primarios. Somente assaltam quando nao exista possibilidade de resistencia das vitimas. Estao coniventes com alguem da tua zona.

X!mb!t@nE disse...

Sinto duplamente, Mutisse! Ca entre nos, e pela profunda amizade que temos um pelo outro, devias ir procurar um guindza do Estrela para recuperares as tuas coisas, e as recuperavas todas.

Infelizmente brincar com gente desonesta deve ter as suas consequencias... Nesta altura, so me resta estender a mao. Se precisares de um prato, venha buscar...

Egídio Vaz disse...

Quero solidarizar-me contigo e sua família, caro Muthisse.

Julio Mutisse disse...

Shir, percebi no sábado que, de facto, há escassez de recursos materiais, a julgar pelo pedacinho de papel em que o "cinzentinho" anotou os bens roubados e a julgar pela velhinha máquina de escrever da 6ª esquadra. Mas, mais do que escassez de recursos materiais, escasseia organização, método e algum profissionalismo; para mim é inconcebível que os agentes da PIC estejam de folga aos fim de semana ou que o agente disponível não tenha ideia de recolher um ou outro vestígio que pode conduzir a descoberta dos autores do crime... ma enfim.

Nero, não tenho dúvidas quanto a possibilidade de conivência de gente da zona, que acompanhou a minha movimentação nos últimos dias. Esperava é maior vigor da polícia no sentido de descobrirmos quem entre os residentes e os frequentadores da zona tirou, entre outras coisas, as poupanças das minhas meninas (segundo elas, vinham "depositando" ali há bastante tempo), 45 meticais que lhes fazem ou farão falta.

Ximbi, acredita que depois de ouvir o que ouvi da polícia, vontade de procurar um gajo para dar uns sopapos em alguns que pudesse indicar como suspeitos não me faltou... mas sou um cidadão consciente. Já agora, não entendi esta "Infelizmente brincar com gente desonesta deve ter as suas consequencias". A que é que te referes?

Já agora Xim, sem abusar da sua boa vontade, preciso de um ferro de engomar (eléctrico se faz favor).

Obrigado Vaz.

Custódio Duma disse...

Opa irmao,

Embora tarde, espero que aceites o meu gesto de solidariedade. A vida e a saude sao as coisas mais importantes e brevemente vais repors, aos poucos, o que vc perdeu, embora o valor sentimental de certos bens jamais será recuperado.

Sinto muito. É o que os nossos concidadaos às vezes gostam de nos oferecer: Tristeza por meio de dor.

Ja da policia nao se fala, às vezes, mesmo com pistas, precisas "fazer ver com algum" para que facam alguma coisa. O bem é que o auto foi aberto, num desses dias algo vai aparecer.

Mano, o caminho é para frente.....

Estamos juntos nessa

Jorge Saiete disse...

Enquanto houver saude outras coisas virão. Isso é verdade meu irmão.

Lamento bastante e pior porque a nossa polícia continua igual a ela mesma.
Força mano, a frente é que é o caminho. abraço

Julio Mutisse disse...

Ganhei uma aposta ao meu irmão que viajou recentemente para os States. Precisava renovar o guarda-roupa e exigi-lhe que me trouxesse um FATO.

Hoje era o dia da estreia... mas já deve ter sido estreado por outros. Fiquei azul.

Mas enquanto houver saúde, há esperança e vamos conseguir outras coisas, se calhar melhores.

O rescaldo está a doer. Vou descobrindo que o roubo foi mais do que pode ver logo à chegada.

ico.lala disse...

Serafim,
Às vezes que o meu coração e alma param sempre que tenho de viajar por mais de um dia e deixo a minha família em casa, fazem-me entender aquilo porque passaste e alinhar-me ao teu lado! Aquele abraço.

Nyikiwa disse...

Lamento muito o que aconteceu. Infelizmentenem todas pessoas pautam por uma postura de trabalho e honestidade.

Jonathan McCharty disse...

Brada Mutisse!

Meus sinceros pesames pela perda do seu ente querido e minha solidariedade pelo evento insolito que sofreste. Esse tipo de roubo e' geralmente perpretrado por alguem "proximo", que conhece perfeitamente o ambiente!
Muita gente costuma se perguntar porque muito gatuno conhecido anda a solta, mesmo pouco depois de ter sido surpreendido em flagrante delito. A verdade e' que a Policia, faz pipas de massa com aqueles que deveriam estar encarcerados! Nao vi isso na televisao, mas falo por experiencia propria! Mesmo que tu encontres os gatunos, a Policia vai solta-los! Mas nao nos iludamos, pensando que a PRM "nao trabalha"! Quando quer, a PRM captura todo o meliente que quer! Mas e' preciso conhecer algum "bufo" la' dentro! (Aqui tambem falo por experiencia propria)!

Saudacoes

Júlio Mutisse disse...

Thanks Nyiki e Jonathan. A Ximbi guiou-me virtualmente na compra de um ferro novo, minha esposa está a esmerar-se para se vingar me comprando fatos novos. Hehehe, há males que vem para bem: o velhinho ferro (diga-se nunca deu chatices) foi substituido, o guarda roupa renovado... EPA