segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Há “Bifes” no Futebol em Moçambique

O meu clube do coração é Vice Campeão nacional de Futebol; Vencedor da Taça de Moçambique em Futebol; Campeão Nacional de Basquetebol Sénior Masculino; Também é campeão da Cidade de Maputo nas camadas de formação (juvenis e juniores) em futebol. Grande obra do meu Maxaquene.

Se por um lado faço um balanço positivo da época, como adepto ferrenho não posso deixar de mostrar a minha indignação com as notícias de viciação de resultados no Moçambola, que encheram as páginas dos nossos jornais quase todas as semanas no decurso da prova.

Mais estupefacto fico quando leio estas notícias saídas no Jornal o País de hoje dia 15 de Novembro de 2010, em que Arnaldo Salvado, treinador do meu clube, denuncia actos de corrupção praticados por alguns dirigentes, chamando os bois pelos nomes.

O que vem a ser isto? Que medidas está a Liga moçambicana de Futebol e a própria federação a tomar para clarificar estas questões pouco abonatórias do nosso desporto e do nosso futebol em particular? Que rumos devemos tomar? Qual é o papel dos intervenientes no processo desportivo na credibilização do nosso desporto?

8 comentários:

ico.lala disse...

Parece que as opiniões andam muito divididas. Uns atacam os "denunciados" e outros o denunciador. Eu cá digo: Ex fumo dare lucem! É preciso ver onde está o fogo. E concordo contigo meu caro: deve ser chamada a LMF e a FMF (e todos os intervenientes) a clarificar estas questões e chamar à responsabilidade quem deve responder.

Martin de Sousa disse...

Bro Mutisse, O grande problema nosso muitas vezes é fingir que os problemas não existem. Outro grande problema é só falarmos e sugerirmos acções quando nos vemos na situação de prejudicados e dormirmos a sombra da bananeira quando estamos numa situação aparente de privilégio.
Entendo que o Artur Semedo queira relevar a sua competência no campeonato ganho. Aliás, não é fruto de corrupção que a Liga mostro bom futebol mesmo quando a sua equipa perdeu e/ou inclusive com aqueles com quem disputava de forma mais directa o título. Mas o que o Arnaldo Salvado diz hoje “chamando os bois pelos nomes” como dizes, não é diferente do que o mesmo Semedo, noutras circunstâncias e noutros clubes dizia.
Portanto, em minha opinião tanto a Federação como a Liga tem que se mexer. Há podridão aqui nesta história. Há que chamar os intervenientes do processo desportivo a razão e encontrar soluções que nos façam crer que o meu Costa do Sol ficou onde ficou por demérito próprio e não por força de manobras extra-futebol como o Desportivo ficou fruto de incompetência a todos os níveis (incluindo do Uzaras que parece querer se lavar).

V. Dias disse...

Não consigo gostar de futebol. 22 pessoas atrás de uma bola, acho isso uma piada. Mas há quem goste, nisso, eu respeito. O problema do desporto moçambicano é que há "cola tudo", há gente que colou o rabo nas cadeiras e não quer sair. Não há reforma e andam aí a escangalhar o futebol. O negócio, os interesses pessoais e do colectivo é o prato forte. E além disso, não há investimento pedagógico nisso.

É claro que me vão dizer, como alguma razão, então este gajo não gosta de futebol mas anda aqui a escrevinhar sobre futebol. "Quem só gosta de medicina não será um bom médico", é o que escreveu um pensador português, frase esta que roubo em minha defesa em caso de haver alguma alma a indicar-me o calhão.

Quando vejo em Portugal, por exemplo, metade do tempo de telejornal, as televisões debitam sobre o tornezelo de Cristiano Ronaldo. O país inteiro está a cambalear, mas é o Cristiano Ronaldo quem tem manchete. Sinceramente.

Há que concordar com o professor José Hermano Saraiva: "Hoje o estádio substitui o templo. Juntando-se ali um grupo incrítico, que defende o seu clube com unhas e dentes. Infelizmente não lhes ocorre que aquele fanatismo é só uma prova da miséria do juízo humano. Reconheço que há coisas piores. Mas como alguém me dizia no outro dia, os governos para evitarem o sarampo da política, recorrem ao cancro do futebol."

Quanto ao desporto doméstico, ainda que não goste de futebol, repito, dou os meus parabéns ao Chingale.

Zicomo

Nelson disse...

Alinho com seja lá quem for que se indigna com o estado das coisas no futebol Moçambicano especialmente da corrupção na arbitragem, mas sinceramente não me supreendo que as coisas estejam assim. Vivemos num país com tudo para que oque Arnaldo Salvado denuncia aconteça.O contrário é que me supreenderia, aliás é por isso que acredito piamente que apesar de haver material sufiente para se agir, nada do que o Martin de Sousa muito bem sugere(em minha opinião tanto a Federação como a Liga tem que se mexer) será feito.
Se oque Arnaldo Salvado denuncia é ou não corrupção eu não sei mas que é nocivo ao pretendido desenvolvimeno do desporto não tenho dúvida alguma. E depois queremos ver os mambas a ir longe, come on people!

Julio Mutisse disse...

Lala meu bom amigo e colega. Tambem tenho para mim que este nao eh daqueles casos de fumo sem fogo (ate agora so ouvi falar de um, o incendio na Kayum Center... os bombeiros so viam FUMO mas nao viam o fogo hehehehe). Ha gato aqui.

Martin, concordo consigo. Mas isto nao eh fenomeno isolado do futebol. Os que aparecem na TV a criticar a corrupcao nos hospitais, a corrupcao da policia de transito etc., na maioria dos casos, fa-lo com conhecimento pratico.Nao hesitam em pratica-la e colocam se aos berros quando outros a praticam ou potencialmente a podem praticar. Omitem-se quando estao na vantagem (de nao levar uma multa) e gritam quando outros a deviam apanhar e nao apanham pela pratica dos mesmos actos. Devia ser o contrario; a nossa atitude deveria ser condenatoria a todo o momento. Nao deveriamos, fosse em que circunstancia fosse, ser coniventes com actos corruptos que, neste caso, falseiam a verdade desportiva.

Amigo Viriato. Havera algum desporto de que goste de certeza e, nessem deve sentir um pouco do que os que gostam de futebol sentem.

Quanto a "gente que colou o rabo nas cadeiras e não quer sair"... juro que nao sei de que falas. Os mandatos dos orgaos federativos e da liga de futebol (no que a este diz respeito) ate onde sei estao em dia. Faizal nao esta ha muito na federacao, nem o Simango (que esta a realizar um trabalho ESTUPENDO na liga) esta ha muito na liga. Jose Solomoni Cossa nao tem um ano no Maxaquene, nem o Eng Fernando no Costa do Sol... poderia continuar e chegar a conclusao de que mesmo os que ficam muito tempo, ficam como resultado da confianca depositada pelos "donos" do clube fruto do trabalho que realizam. A direccao anterior do costa do sol esteve la 27 anos e fez do Costa do Sol o clube que eh hoje embora este ano tenha andado mal no futebol. Portanto, nao eh por ai.

Em paises como o nosso o Desporto nao pode ser visto como algo superfuluo. Mesmo a exposicao demasiada do "tornozelo do Cristiano" nao pode ser vista levianamente. Cristiano eh hoje um exemplo inspirador. Numa epoca em que os paises enfrentam desafios tenebrosos como as drogas e outros males na juventude, ter um exemplo daqueles motiva qualquer um a correr pelos sonhos abdicando de drogas, marginalidade, criminalidade etc. Ja li estudos sobre os efeitos de exemplos como o que citas para, no Brasil, um dos maiores sonhos ser "estrela do futxebol" e abdicar das gangs nas favelas etc.

Julio Mutisse disse...

Nelson,

Eu tinha esperancas na accao. Esfumaram-se ontem com o comunicado da Liga que manda Arnaldo Salvado encaminhar as suas denuncias ao GCCC. Entao o homem responde ao processo que a liga lhe move fornecendo dados e quem deve encaminha-los eh ele? Nao que nao o possa ou nao tenha legitimidade para o fazer mas e a liga? Qual eh o seu papel?

Julio Mutisse disse...

Retifico,

A LMF decidiu pelo envio da resposta de Arnaldo Salvado e outras denuncias recebidas sobre casos de corrpcvao ao GCCC.

Sorry a LMF pelo lapso.

V. Dias disse...

Caro Mutisse,

Aí está o grande problema sobre o qual seria capaz de dar muros na mesa para dizer "não" não concordo.

Sabe "chamuale" Mutisse, no meu franco entender, o problema não está nos mandatos, mas sim na responsabilidade desses mandatos. Não está no ter ou não ter mandato em dia, nada disso. Os mandatos nem sempre salvam a honra.

Ainda sou do tempo em que, por valores que recebi dos meus país, o cumprimento das tarefas antepunha o interesse pessoal. O que não acontece hoje no futebol e não só.

Sempre que estiver a cometer um deslize, um erro que prejudique a maioria, devo ter a capacidade de renunciar. É o que falta no nosso país.

As pessoas confinam-se nos mandatos que têm e lixam-se para a responsabilidade pública, enfim, para o bem do desporto.

O Mutisse têm uma opinião brilhante em relação ao andamento do desporto rei moçambicano, mas eu, embora não gostando patavina de futebol e dos seus esquemas fraudulentas, tenho outra opinião.

O que é que de concreto essas figuras fazem pelo futebol? Quero que me diga com exemplos concretos. Não há milagres nenhum aí, apenas são gestores de dinheiros que deveria ser canalizados para sectores de desenvolvimento social.

O futebol não desvia vícios, isto é uma pura ilusão. O que desvia o vício, que saiba, é a educação. Uma boa educação, caseira e social em tanto que comum, faz um bom homem.

Não vejo nenhum progresso nessa área senão o esbaldar de valores que deveriam ser canalizadas na reabilitação de estradas, pontes, etc. Acha justo que uma pessoa ganhe tanto dinheiro que supere o orçamento do seu país? Por amor de Deus, para mim isso é uma fantochada.

Sobre o "Criatiano Ronaldo", sugiro a leitura do livro "EU CAROLINA" para perceber a pobreza que anda no futebol português e não só.